13 de fevereiro de 2013



As asas de uma bela coruja se abrem, seus olhos penetram a alma de um jovem guerreiro do coração que percebe a verdadeira conexão entre os sagrados animais e os movimentos das estrelas.
A coruja se revela para aqueles que compreendem além dos corpos físicos, somos mais sutis do que parecemos ser e quando aprendemos a perceber os movimentos da natureza nos tornamos capazes de ver além da matéria física densa.
Procure ver além do horizonte, receba os presentes do grande espírito e manifeste o seu brilho.
Caminhe pela floresta, sinta como esta infinita natureza respira e percebe cada passo da família planetária.
Faça do seu coração a mais poderosa ferramenta da criação, somos amor puro e quando respeitamos e entendemos isso podemos caminhar a cada dia mais seguros.
Respeite as culturas antigas, muita sabedoria foi queimada ou perdida e os ventos do tempo trazem novamente luz para a humanidade solitária.
Podemos nos tornar muito fortes, mas só conquistaremos a verdadeira força quando unirmos nossas atitudes com os nossos mais puros sentimentos.
Aprenda a bater as suas asas e voe para além de suas próprias fronteiras, sonhe, medite e acredite nas infinitas possibilidades.
Que a espada de luz do grande arcanjo toque cada coração e com toda a certeza a grande família planetária cantará como uma grande e única nação.

Desconhecido

25 de setembro de 2012


"Tardei a entender algumas coisas...
uma das últimas, foi que meu corpo temporariamente me hospeda,
e o que vejo, não sou eu, sou apenas um disfarce.
Sou casca, exterioridade, um vulto, um espectro,
uma imagem difusa.
Olho e não me vejo, se vejo não me acho,
minha aparência desvitaliza, finda... vira terra seca.
Ela é apenas a superficialidade de mim, uma imagem confusa.
E ai, o tempo fluiu, e na descoberta, vi que...
Eu sou, o que não se vê, eu sou o de dentro, sou o meu sonho,
o invisível do meu ser,
e o olhar que tenho sobre a minha passagem por aqui, sou alma.
Quando necessito me encontrar, salto profundamente,
enraízo-me na própria essência, que me recebe em calma.
Antes espelhava solidão, olhava com sofreguidão,
hoje me recolhi, virei remanso, sou mansidão,
ando comigo...
Não deixo a carência de mim, dominar o meu eu,
descubro-me, me acho... encontro-me.
Danço em devaneios com minha pequenez,
e bailo ao som dos meus soluços.
Rasgo-me de rir dos meus medos,
e das vezes que perdi o caminho.
Sou suscetível as mudança, arrisco nos abraços,
para não caminhar sozinho.
Tardei a entender algumas coisas...
Continuo não compreendendo outras tantas.
Só sei... que antes achava que eu era aquele que o espelho refletia.
Hoje, tenho outra perspectiva de mim,
sou compreensão, evolução... sou uma energia.
E que além de tudo e depois de tudo... um sonhador,
que brinca de ser poeta.
Recita: é preciso ter coragem para ser feliz.
E em silêncio poetiza
o amor."

Ari Mota

16 de setembro de 2012

Quer saber a verdade? Mas, será que está preparado para tal?


A verdade é relativa: pode ser a realidade de alguém e ser completamente diferente da realidade do outro!
Antes de sair por aí, agindo de qualquer forma com tudo o que descobre, pense, analise e reflita por todos os primas: em tudo que se faz há uma consequência!
O mal que se faz a alguém traz metade desse mal para nós!
Como diz o ditado: "Quanto mais alto você sobe, mais alto será a sua queda!".


14 de setembro de 2012




Estimo que como nunca antes, a esperança é hoje a virtude mais urgente e necessária.
Temos que conviver com a ameaça de devastações inimagináveis do sistema da vida por
causa da ação irresponsável do ser humano.
Temos que confiar e esperar que o instinto de vida predomine sobre o instinto de morte,
e que a sabedoria prevaleça sobre a demência.
A meu ver, não estamos num quadro de tragédia, mas de crise. Toda crise acrisola, purifica
e amadurece as pessoas e as sociedades.
As dores não são de morte, mas de parto de uma nova fase de tragédia humana.
Nunca deixe morrer o sonho de uma humanidade melhor.

Leonardo Boff